>>> Início - Cuidados - Candiru

 

Candiru

No rio Araguaia e seus afluentes, não é incomum encontrar um peixe azulado, com olhos quase inexistentes cor azulada e aspecto gosmento. Já os ví com até 22 centímetros de comprimento e, apesar da boca pequena, é quase tão voraz quanto a piranha-cajú. Ocorre e se alimenta, tanto de dia quanto à noite, em águas calmas ou na corrente. É conhecido como Candirú.

É voz corrente na região, que este peixe, quando pequeno, constitui um sério risco para quem se aventure a banhar-se despido, principalmente na eventualidade de urinar dentro d'água ou, no caso do sexo feminino, estando no período menstrual.

O candiru minúsculo - com até cerca de 3 cm. - teria, segundo relatos, a capacidade de penetrar nos orifícios naturais do corpo - uretra, ânus ou vagina -, alimentando-se do sangue e carne da vítima, sendo de difícil remoção, pelo fato de que abriria as guelras expondo áreas cortantes o que além do traumatisto inerente, torna o quadro uma verdadeira tortura. Não sabemos se isto é um fato comprovado, todavia, não custa nada evitar banhar-se totalmente despido, como forma de proteção contra esse risco potencial.